O Caminho da Fé

Caminho da Fé
O Caminho da Fé foi inaugurado em fevereiro de 2003 na cidade de Águas da Prata (SP), tendo seu primeiro prolongamento até a cidade de Tambaú (SP) em junho do mesmo ano.
Criado para oferecer estrutura às pessoas que sempre fizeram peregrinação ao Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, o roteiro foi inspirado no milenar Caminho de Santiago de Compostela (Espanha), tendo objetivos propiciar momentos de reflexão e fé, saúde física e psicológica através do exercício da caminhada e integração do homem com a natureza.
Em seu caminhar, o peregrino vai reforçando sua fé observando a natureza privilegiada, superando as dificuldades do caminho que é a síntese da própria vida. Aprende que o pouco que necessita cabe na mochila e vai despojando-se do supérfluo.
De acordo com o projeto, em cada parada o peregrino está contribuindo para o desenvolvimento econômico e social das pequenas cidades e propiciando a integração cultural de seus habitantes com a dos peregrinos de diferentes partes do mundo.
São aproximadamente 400 km que atravessam a Serra da Mantiqueira por estradas vicinais de terra, trilhas, bosques, pastagens e asfalto.
De acordo com os seus idealizadores seu traçado será sempre alterado, visando agregar outras cidades.
No site do Caminho da Fé (www.caminhodafe.com.br), é possível ter acesso a orientações importantes àqueles que querem fazer a peregrinação, como itens ideais para a viagem, características do trajeto, como obter a credencial do Caminho da Fé, recomendações, responsabilidades do peregrino e altitude das 30 cidades pelas quais o caminheiro irá passar.
Para retirada do certificado de conclusão do percurso, o peregrino deve se dirigir à Secretaria de Pastoral do Santuário Nacional e pagar uma taxa no valor de R$ 5.
É responsável pelo Caminho da Fé a AACF – Associação dos Amigos do Caminho da Fé, cuja função é melhorar manter e fiscalizar o Caminho bem como divulgá-lo no Brasil e no exterior, a Fé em Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil.

ORAÇÃO DO CAJADO
“Desculpe Senhor pela relação grosseira que faço, mas sou obrigado a Te dizer que meu cajado me leva a Ti. Sei que é ousadia, mas a rusticidade daquele cabo de enxada me fez meditar.
Ele me acompanha do princípio ao fim da minha peregrinação, como Tu fazes na minha vida.
Como na vida, são constantes as subidas e descidas íngremes, poucos trechos planos, e assim como Tu, ele sempre está presente para nos ajudar. Quantas vezes cansado, apóio-me nele para descansar o peso do corpo e da mochila, bem como faço Contigo. Quando ele bate no chão de poeira, de barro, de grama ou de pedra, sua voz é diferente, bem como é a TUA PALAVRA em cada momento da minha vida. Quando tudo é plano eu o levo na mão, quase esquecendo que ele existe, bem como faço Contigo, tantas vezes na vida.
Sempre tenho medo de esquecê-lo pelos cantos, como tenho tanto medo também de Te esquecer. Obrigado Senhor pelo eterno cajado que és em minha vida! Amém.”

Faça um comentário

Sempre Alegria - © 2014. Todos os direitos reservados.
by Anna Rebello