Nossa Árvore de Natal

140

Há quem prefira fazer surpresa para os familiares, enfeitando a Árvore de Natal
às escondidas e, ao apresentá-la, espera o sorriso e o aplauso de todos.
Mas há também quem convida os familiares, amigos ou alunos, para decorar árvores
que sejam, além de bonitas, significativas:
Lá vão algumas dicas:
Árvore da Família:
Alguns dos enfeites representam as pessoas da família,
seus sonhos ou realizações, seus aniversários…
Árvore da Saudade:
Lembrando também os familiares e amigos que estão longe
ou que já partiram para os braços de Deus.
Árvore das Virtudes:
As pessoas se propõem a praticar algumas virtudes. Quando conseguem,
colocam um enfeite na árvore.
Árvore dos Amigos:
Amigos e vizinhos são convidados a oferecerem um enfeite
ou os nomes deles são pendurados na árvore
Arvore Solidária
São pendurados envelopes com informações sobre crianças ou pessoas carentes
que precisam de ajuda. Familiares e visitantes são convidados a colaborarem
para que essas pessoas tenham um Natal mais alegre e confortável.
Talvez essas árvores não exibam brilho e simetria, luxo e harmonia mas,
com certeza, serão significativas e ponto de união.
A árvore pode ir sendo decorada aos poucos, em determinados dias,
finais de semana que antecedem o Natal.
Se a sua Árvore de Natal já está pronta, veja o que pode ser acrescentado a ela.
Que o brilho do Natal venha de corações e rostos felizes e agradecidos
Jesus deu-nos o exemplo de abençoar e cristianizar o que até então era considerado pagão,
usado em cultos antigos. É o caso da celebração da Páscoa e outras.
Não precisamos banir as manifestações tradicionais, mas dar-lhe novo formato e sentido.
Vamos dar um sentido novo para nossa Árvore de Natal.
Vamos dar um trabalho novo para o Papai Noel
Que nossa união e ajuda se prolongue durante o ano!
Que momentos significativos se repitam!
Que “saibamos amar como o Aniversariante – JESUS !
Que ELE tenha o primeiro lugar nessa festa !

Ir. Zuleides Andrade, ASCJ

Faça um comentário

Sempre Alegria - © 2014. Todos os direitos reservados.
by Anna Rebello